Quem sou eu

Minha foto
Esposa, mãe, professora, artesã. Apaixonada por tudo o que faz. Amante da música, de um bom livro, de estar com a família e amigos. Simples não? Isso é viver!

Pesquisar este blog

Carregando...

15 junho 2015

Flor de crochê

Navegar pela internet é muito bom... rico... vc encontra pérolas... quando  não está precisando delas! Um belo dia você quer achar aquele link, aquele PAP, aquele vídeo... vc tem certeza que viu, acessou ou até fez o bendito PAP, mas na hora que você quer reavê-lo, cadê?
Isso aconteceu comigo várias vezes, mas a pior delas foi com uma rosa de crochê de nove passos. Gostei tanto da rosinha que fiz quatro, três das quais apliquei em trabalhos que fiz. Pois bem!  Um belo dia topo com a rosinha que sobrou e toco a pensar ...COMO FIZ ISSO? Lembrei-me de que era em 9 passos.
Entro na internet, vou no SOCORRO DOS AFLITOS, o São GOOGLE e nada! Passo a manhã inteira procurando, cutuco amigas crocheteiras da internet, como a Siglea Mallet, trocamos figurinhas e eis que...BINGO! ACHEI...
E para não passar pelo sufoco de novo deixo aqui registrado a receita

 
PASSO-A-PASSO FLOR DE CROCHE ROSA 4 CARREIRAS DE PÉTALAS 
Essa flor tem suas carreiras de pétalas crescentes e aneladas. Suas pétalas crescem, tanto na altura quanto na largura. Cada carreira tem o ponto de um tamanho... A 1ª carreira de pétalas é composta de Pontos Altos (pa), a 2ª carreira de pétalas é de Pontos Altos Duplos (pad), a  3ª carreira de pétalas é  de  Ponto Alto Triplo (pat),   a  4ª e ultima carreira de pétalas é de Pontos Altos Quadruplo (paq). Portanto, não estranhe, a receita é assim mesmo. 
MATERIAL UTILIZADO:
  • Linha Libra Esterlina;
  • Agulha 1,5 mm;
  • Tesourinha e Agulha de Tapeceiro, para o arremate.
     
São 9 os PASSOS:

  • 1º PASSO: Miolo da Flor;
  • 2º PASSO: 5 Alças para a 1ª Carreira de Pétalas;
  • 3º PASSO: 1ª Carreira de Pétalas com   9 Pontos;
  • 4º PASSO: 5 Alças para a 2ª Carreira de Pétalas;
  • 5º PASSO: 2ª Carreira de Pétalas com 11 Pontos;
  • 6º PASSO: 5 Alças para a 3ª Carreira de Pétalas;
  • 7º PASSO: 3ª Carreira de Pétalas com 13 Pontos;
  • 8º PASSO: 5 Alças para a 4ª Carreira de Pétalas;
  • 9º PASSO: 4ª Carreira de Pétalas com 15 Pontos;
1º PASSO:
BASE:
  • Faça 1 Circulo Mágico;
MIOLO DE FLOR DE CROCHE: {(2 corr + 20 mpa + 1 pbx)}
  • 2 Correntinhas (corr), para subir e iniciar a carreira+
  • 20 Meios Pontos Altos (mpa)
  • 1 Ponto Baixíssimo (pbx), para fechar.
2º PASSO:
ALÇAS BASE PARA PÉTALAS: {5 (3 corr + 1 pb)}
  • Faça 5 alças compostas de:
    • 3 Correntes (corr) +
    • 1 Ponto Baixo (pb), para fixá-las.
3º PASSO:
1ª CARREIRA DE PÉTALAS COM 9 PONTOS: {5 (2 corr + 5 pa + 2corr + . )}
  • 2 Correntes (corr) +
  • 5 Pontos Altos (pa) +
  • 2 Correntes (corr) +
  • 1 Ponto Baixíssimo (pbx) para fixá-las.
4º PASSO:
5 ALÇAS BASE PARA PÉTALAS: {5 (4 corr + 1 pb)}
  • Faça 5 alças de 4 Correntes (corr) +
  • 1 Ponto Baixo (pb), para fixá-las.
5º PASSO:


2ª CARREIRA DE PÉTALAS COM 11 PONTOS: {5 (3 corr + 9 pad + 3 corr + 1 pbx)}

  • 3 Correntes (corr) +
  • 9 Pontos Altos Duplos (pad) +
  • 3 Correntinhas (corr) +
  • 1 Ponto Baixíssimo (pbx) para fixá-las.

6º PASSO:


5 ALÇAS BASE PARA PÉTALA: {5 (5 corr + 1 pb)}
  • Faça 5 alças de 5 Correntes (corr) +
  • 1 Ponto Baixo (pb), para fixá-las.
7º PASSO:


3ª CARREIRA DE PÉTALAS COM 13 PONTOS: {5 ( 4 corr + 11 pat + 4 corr + 1 pbx)}
  • 4 Correntes (corr) +
  • 11 Pontos Altos Triplos (pat) +
  • 4 Correntes (corr) +
  • 1 Ponto Baixíssimo (pbx) para fixá-las.
8º PASSO:


5 ALÇAS BASE PARA PÉTALAS: {5 (4 corr + 1 pb)}
  • Faça 5 alças de 6 Correntes (corr) +
  • 1 Ponto Baixo (pb), para fixá-las.

9º PASSO:
4ª CARREIRA DE PÉTALAS COM 15 PONTOS: {5 (5 corr + 13 paq + 5 corr + 1 pbx)}
  • 5 Corrrentes (corr) +
  • 13 Ponto Alto Quadruplo (paq) +
  • 5 Correntes (corr) +
  • 1 Ponto Baixíssimo (pbx) para fixá-las.
Está pronta a flor!

    17 maio 2015

    Lenço dos namorados

    Lenço dos namorados



    Bordar é muito prazeroso! Bordar para distrair, para curar depressão, para embelezar o ambiente e para se embelezar e para ornamentar roupas de guerra, de reis e rainhas e de altares. Vários foram os objetivos que homens e mulheres bordaram ao longo dos tempos.

    E bordar para conquistar um amado, seria viável? Aconteceu na história?

    Aconteceu!

    "Diz-se que a origem dos "lenços dos namorados" remonta aos séculos XVII - XVIII, quando as Senhoras bordavam para passar tempo, sendo que, ao longo dos tempos, foram sendo adaptados para as mulheres do povo.

    No início, estes lenços, faziam parte do vestuário feminino e tinham apenas uma função decorativa. Eram lenços quadrados, de linho ou algodão, bordados conforme o gosto de cada um.

    No entanto, estes lenços, tinham outra função: a conquista do namorado.

    04 maio 2015

    Mãos bordadas

    Como é gostoso bordar... como a gente faz amizades com o bordado! Amizades distantes, de norte a sul, do Arroio ao Chuí.
    Marina Fazendo Arte... com prazer. A última arte foi participar do Mãos Bordadas. Foi tão bom que bordei logo duas.
    A proposta era riscar sua própria mão e bordar  o que quisesse e como quisesse, dentro ou fora dela.
    A minha opção foi uma mão alegórica, representando tudo  que gosto: minha casinha na praisa, com minha gata, minhas flores, os pássaros e as borboletas que povoam o jardim.... pra completar um monograma que traduz meu nome e o nome do bairro em que minha casa está localizada> Marina e Marbella.

    A outra foi um símbolo de engajamento. Traduz a união entre os homens sem preconceito, sem guerra, sem discriminação... com paz e fraternidade.
     
    O projeto é de Fátima Coelho de BH - MG. As mãos chegam bordadas de todo o pais e com elas Fátima construirá um grnade painel. Esperemos para ver o resultado desta grande ideia.

    16 março 2015

    Ipê amarelo bordado

    Inicando outra paisagem bordada. Quem já ouviu falar de Monika Kinner ou Judith Montano? São duas artistas que bordam paisagens... bordam? não.. não... elas pintam quadros com agulha e linha... são  verdadeiras obras de arte. Sou apaixonada pelo trabalho delas... vou seguindo-as no rabo do cometa...rsrrsrsrsrs...
    Eu fiz uma paisagem bordada de uma casinha na roça... agora estou começando outra. Não sei ainda que nome lhe dar, porque ainda está em construção. Só que desta vez, ao invés de puro bordado, resolvi aplicar tecidos no fundo em composição de paisagem. Bordei um ipê florido, inspirado em um de Lucia Schwery.
    Adoro bordar árvores.. elas são a essência da vida no planeta. Quando um homem derruba uma árvore está assinando a condenação de extinção do planeta e de sua própria existência!

    27 fevereiro 2015

    Paisagem bordada - casinha na roça

    O que você sente quando vence um desafio? Um prazer sem medidas, não é não?
    Houve uma vez um grupo... houve uma vez um projeto. Gente boa, feliz, amiga! Um prazer imensurável estar juntas, quer presencial ou virtualmente.
    Um grupo nascido nas estradas da Web e que foi reunido concretamente por força da amizade de cada membro.
    Dizem que nada é para sempre! Uma pena... durou pouco... não a amizade, mas a junção delas.
    Para firmar essa união havia uma proposta de bordar uma árvore... eu recebi a minha... era um Jacarandá Mimoso... azul arroxeado ou roxo azulado? Não sei... só sei que era lindo.
    Comecei a treinar, pois não queria fazer feio. Havia colegas que bordavam há muitos anos e muito bem! Sem nomes! Histórias não precisam de pessoas nomeadas... cada um que lê reporta à alguma bordadeira... isso reaviva lembranças!
    Mas... bordei troncos, bordei árvores, bordei paisagens, bordei flores!
    Sabe aquela aluna aplicada que leva o dever para casa e faz com afinco a fim de tirar nota máxima e elogios do professor? Pois é... foi o meu retrato!
    E o projeto se foi... o grupo se dispersou, mas a amizade... ah! essa ficou... cada uma num canto, mas ficou: na troca de carinho, de mensagens, de até o desejo de um dia se encontrar de novo.
    Mas e o meu treino? Onde ficaria? Jogado numa gaveta? Não! Cada vez que o olhasse sentiria algo ruim, de coisa deixada pelo caminho.
    Fui em frente! Acrescentei outras árvores... o Ipê Rosa ao lado do meu Jacarandá Mimoso e atrás um Bouganville, para firmar o propósito de um projeto que estava nascendo...  As Quatro Estações.... Por que um projeto assim? Para dar continuidade ao prazer, porque essa é a verdadeira tônica de bordar. Satisfação... muito prazer em bordar.
    Eis aqui a minha satisfação! Um dia quero olhar para ele e lembrar de cada uma das minhas companheiras de bordado... seus rostos estão por trás de cada ponto bordado. Vocês estão no meu coração, porque vocês foram a razão de eu ir em frente.

    04 dezembro 2014

    Sunbonnet bordadas

    Estamos cá de volta às voltas com novo desafio de Nina. Agora são as bonequinhas sem rosto, isto é, tem rosto, mas está escondido sob o chapéu.
    Essas bonequinhas me encantam!
    Tive poucas bonecas na vida! Lembro-me de três: uma de papelão (quem se lembra? rs), uma de louça e a outra de pano.
    Essa de pano foi meu pai quem a fez pra mim. Vendo a minha dificuldade em fazer, pois tinha uns 9 anos, acho eu, ele tomou a função pra si. O resultado foi uma boneca robotizada, pois a cara e o corpo saíram quadrados rs. Como a habilidade dele em costura era tão nula quanto à minha, ele tomou o tecido de ambas as partes e foi dobrando em dois, em quatro e assim por diante... a forma, necessariamente, teria de sair quadrada. A boneca não saiu bonita, mas o seu carinho em me agradar jamais saiu da minha mente... nem a imagem da boneca. Acho que podem passar mais muitos anos que nunca vou esquecer minha boneca robótica.
    Outros bonecos que fazem parte de minha imaginação infantil são a Bonequinha Preta e o Bonequinho Doce... livros infantis de Alaíde Lisboa.
     
     
    Eu estava começando na arte da leitura e minha imaginação corria solta... ficava muito triste com o destino do pobre bonequinho doce!
     
    As bonequinhas de Nina são mais felizes rs.
    Agora, depois de grande, e bem grande (rs) brinco com outras bonecas.
    Minha máquinas de costura são minha bonecas... é com elas que eu agora brinco.
    Outro dia, adquiri mais uma, das seis que tinha. Comentando com uma amiga e dizendo que eu deveria ser doida, pra ter tanta máquina ela me respondeu com uma pergunta:
    _ Quando você era pequena vc tinha qualquer brinquedo que queria?
    Ao que eu respondi:
    _ Claro que não! Além de a gente não ter poder aquisitivo para isso havia a cultura de não dar presente com excesso para crianças. Não havia o consumismo de hoje!
    Então minha amiga me disse:
    _ Marina, suas máquinas de hoje são os brinquedos de ontem que você não teve!
    Sábia amiga!
     
    Eis a bonequinha do desafio... a primeira de sete!